Header Ads

Polícia segue em busca de 17 homens que fugiram da Decap em Fortaleza-CE

Na manhã de ontem, parentes dos presos compareceram à Decap
para saber se o familiar era um dos foragidos ou se ainda estava na unidade
FOTO: HELENE SANTOS
Durante a madrugada de quarta-feira, os detentos serraram as grades da cela e fugiram pelo telhado da unidade
A Polícia ainda não recapturou nenhum dos presos que fugiram na madrugada desta quarta-feira da carceragem da Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), localizada no Centro de Fortaleza. Os detentos organizaram uma fuga bem sucedida. Dos 128 presos que estavam no local, 17 conseguiram escapar serrando as grades de uma das celas. A arma do inspetor que estava de plantão sozinho foi encontrada em um xadrez, em posse dos detentos, segundo informações de outro agente da Decap, que pediu para ser identificado.
De acordo com o servidor da Polícia Civil, a arma do policial que estava na permanência foi achada durante a varredura feita, ainda durante a madrugada de ontem, por militares do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque). Segundo o inspetor da Decap, o policial civil que presenciou a fuga "ainda estava atordoado" e não revelou detalhes do que aconteceu.
"Já tentamos conversar com ele, mas as informações são desencontradas. Dá para ver que ele ainda não está em seu sentido normal. Depois de passar pelo que ele passou, é normal que a pessoa leve um tempo para organizar as ideias", afirmou.
Serras
A grade que dá acesso ao corredor
das celas também foi serrada
pelos detentos
Foto: VC Repórter
De acordo com informações da Polícia Militar (PM), três serras foram encontradas no interior da Delegacia. A Polícia não informou com quem elas estavam, nem como entraram lá. O agente que conversou com a reportagem disse que também não se sabe como os detentos deixaram a Decap. "Ainda não sabemos como eles saíram, depois que abriram as celas. Somente o permanente poderá dar essas informações", relatou.
Uma fonte ligada à Polícia Civil disse que a fuga ocorre em circunstâncias misteriosas e que o policial que estava de plantão dormia quando a PM chegou ao local. "Quem acionou a Coordenadoria de Operações Integradas (Ciops) foram os moradores da área, que escutaram o barulho e deram conta que estava acontecendo uma fuga. Não temos notícia que ele tenha sido rendido, porque, sequer, estava acordado", disse.
A reportagem apurou também que dois policiais deveriam estar de plantão na Decap, mas apenas um estava na Delegacia no momento da fuga. "Não se sabe porque o outro policial não estava lá. O que se pode dizer com certeza é que ele deveria estar na Decap", revelou.
A reportagem entrou em contato com o delegado Jairo Façanha Pequeno, diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), sobre o ocorrido e ele disse que um inquérito será instaurado no 34ºDP (Centro) para apurar as circunstâncias da fuga. "Somente a apuração dos fatos irá esclarecer o que aconteceu. O que podemos garantir é que os envolvidos serão descobertos e punidos. Não se pode afirmar que houve facilitação por parte de ninguém. Somente a conclusão das investigações dirá o que ocorreu", afirmou.
Jairo Pequeno disse ainda, que dois delegados foram deslocados para o local da fuga e fizeram os procedimentos cabíveis, ainda durante a madrugada. "Os delegados plantonistas do 7º e do 34ºDP foram até a Decap. Alguns depoimentos foram tomados na Delegacia do Centro e a arma do policial foi apreendida", declarou o diretor do DPM.
Recorrentes
As fugas e motins na Delegacia de Capturas acontecem com frequência. Conforme informações do policial que conversou com o jornal, os seis xadrezes da Especializada estão em situação constante de superlotação, não têm iluminação adequada, nem entradas de ar.
O delegado geral da Polícia Civil, Andrade Júnior, disse que a estrutura da Decap será reformada. A previsão é que em junho, a estrutura do prédio comece a passar por um projeto de redimensionamento.
"Já temos o projeto de reforma da Capturas, mas temos que esvaziá-la primeiro. Para retirarmos os presos, precisamos de um planejamento da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) para o recebimento destes detentos", disse o delegado geral.
Andrade Júnior disse ainda que a previsão dada pela Sejus para a inauguração de uma nova unidade, que deverá possibilitar o esvaziamento da Decap, é daqui há quatro meses. Segundo o Andrade, a partir daí a Especializada poderá desempenhar suas outras funções, que não é só de custódia de detentos. "Além de segurar os presos, a Decap deve unificar os mandados de prisão, dar cumprimento a esses mandados e exercer seu serviço de Polinter, ou seja, dar apoio às unidades de Polícia de outros Estados", disse Andrade.
Fluxo de presos
Em nota, a Sejus informou que "há um fluxo de recebimento de presos já estabelecido com a Decap, para evitar a superlotação das delegacias. Apenas na última sexta-feira (13), 160 presos foram transferidos da Decap para o Sistema Penitenciário, possibilitando que a unidade policial iniciasse o Carnaval operando com menos presos que sua capacidade", diz o documento.
A Instituição disse ainda que, "somente neste ano, 1.172 presos oriundos da Decap já foram recebidos no Sistema Penitenciário da Região Metropolitana de Fortaleza. A Sejus, entretanto, está à disposição da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) para discutir um plano emergencial que viabilize a reforma da Decap".
Quarta-feira, 12 presos do isolamento B da Casa de Privação Provisória de Liberdade Agente Elias Alves da Silva (CPPL IV), em Itaitinga, tentaram fugir da unidade, mas foram impedidos por agentes penitenciários.
Márcia Feitosa
Repórter
Diário do Nordeste
Tecnologia do Blogger.