Header Ads

Mulher que foi atropelada, espera por cirurgias ortopédicas em Hospital de Mossoró

Maria de Lourdes Souza se recupera em uma cama hospitalar,
colocada na sala de sua residência
Foto Wilson Moreno



No atropelamento, a dona de casa perdeu a mãe e ainda quebrou a bacia, a clavícula, um braço e uma perna. Ela aguarda, em casa, a realização das cirurgias.


Além de perder a mãe, Maria de Lourdes Souza, de 56 anos, tem ainda mais para lamentar o acidente que sofreu no último dia de 2014. No atropelamento, a dona de casa quebrou a bacia, a clavícula, um braço e uma perna. Ela aguarda, em casa, a realização das cirurgias que ainda não têm data para acontecer.
No dia 31 de dezembro, Maria de Lourdes atravessava, com a mãe, a Avenida Alberto Maranhão, bairro Barrocas, quando as duas foram atingidas por uma motocicleta que vinha com o pneu dianteiro levantado. Maria Alice de Souza, 75 anos, morreu no local, enquanto a filha foi levada ao Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM).
“Fiquei numa maca no corredor, cheia de dor, esperando ser atendida e passar por uma cirurgia, mas acabou não acontecendo e eu fui liberada para esperar marcar a data da cirurgia em casa”, disse a dona de casa que está acamada na sala da sua residência sendo cuidada pelos familiares.
Com base no prontuário, adireção médica do HRTM, informou que a paciente foi liberada por apresentar sintomas característicos de um procedimento cirúrgico eletivo. Portanto, deve aguardar a data para passar por procedimento cirúrgico. Até o fechamento desta matéria, o diretor médico Wedney Livânio ainda não tinha conseguido conversar com o médico que atendeu a paciente para pegar mais detalhes sobre o caso.
Apesar de ter que esperar, Maria de Lourdes disse que a liberação para casa foi o ‘menos ruim’ que podia ter acontecido. “É melhor ficar aqui com minha família me ajudando do que jogada em uma maca, no corredor, sem conseguir descansar, correndo o risco de pegar uma infecção ou coisa pior”, destaca.
Maria Célia é uma das que se revezam na assistência à irmã. “Sou de Icapuí e estou aqui há alguns dias. Ficamos todos aqui cuidando dela enquanto não marca essas cirurgias. É triste ver ela nessa situação sentindo dores”, disse ela acrescentando que Maria de Lourdes ainda foi levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA). “A médica atendeu bem e ainda passou alguns remédios que aliviou as dores dela”, completa.
Um amigo da família conseguiu uma cama hospitalar emprestada para melhor acomodar a dona de casa.
A filha dela, Paula Araújo, foi até a Promotoria da Saúde na manhã de ontem, 5, em busca de ajuda.
O suspeito de provocar o acidente e um companheiro que estava na garupa também ficaram feridos.
Matéria publicada ontem (06) no Gazeta do Oeste

2 comentários:

Tecnologia do Blogger.