Páginas

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Resumo da chacina no Juazeiro do Norte

   Comando do 2º Batalhão Policial Militar (BPM) e a Delegada Regional de Polícia Civil de Juazeiro do Norte reuniram à Imprensa numa entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira sobre a chamada chacina da FEBEMCE. Por volta das 19h30min de ontem quatro homens armados chegaram ao Centro Sócio Educativo José Bezerra de Menezes e executaram três menores suspeitos de envolvimento em assaltos, furtos e crimes de latrocínio.Os irmãos Jeferson Souza Ferreira, de 17, e Jonas de Souza Ferreira, de 16 anos, que residiam no bairro João Cabral, foram mortos a tiros de pistola 380 juntamente com seu primo Leone Caetano Ferreira, de 17 anos, que residia na Rua Farias Brito, 1295 igualmente no João Cabral. Eles estavam tomando banho no momento em que três dos quatro acusados adentraram àquela unidade de internação provisória de adolescentes em conflito com a lei após cortarem o cadeado com um alicate e renderem três agentes.O trio estava encapuzado e, segundo informações constantes no boletim da CIOPS, pediu para apontar onde estavam os três que mataram o dono da farmácia. Quando se viram diante dos mesmos passaram a efetuar os disparos matando-os dentro do banheiro da antiga FEBEMCE que funciona na Rua Ladislau de Arruda Campos, 61 (Antônio Vieira) em Juazeiro. A fuga do quarteto se deu em dois veículos com vidros fumês, sendo um deles parecido com um Corolla de cor escura.A polícia foi avisada e viaturas do Ronda do Quarteirão e Força Tática de Apoio estiveram na instituição além da perícia e do rabecão a fim de levar os corpos para serem necropsiados no Instituo Médico Legal (IML). Além destes, o delegado plantonista, Marcelo Moura, e o Promotor de Justiça, Lucas Azevedo. Na delegacia, compareceram três educadores do Centro Sócio Educativo e o Capitão Guedes da Controladoria da Polícia Militar no Cariri.Por uma solicitação do Comando do Batalhão os Soldados Aquino, Samuel e Ismael, que eram filhos do dono da farmácia, Francisco Alves de Aquino, de 53 anos, morto durante assalto ao seu estabelecimento, se apresentaram ao delegado. Nos depoimentos prestados negaram envolvimento na chacina assegurando que estavam em orações com sua mãe no momento em que ocorreu o triplo homicídio. Na coletiva, a Delegada Cícera de Jesus Santos Araújo informou que vai presidir o inquérito policial.Neste, já foram ouvidos os três agentes rendidos na noite de ontem e a autoridade policial terá prazo de 30 dias para concluir as investigações. Já o Coronel Fernando Albano, Relações Públicas da PM, observou que os militares filhos da vítima se colocaram à disposição para ajudar nas investigações partindo dos seus próprios sigilos telefônicos. Participaram ainda da entrevista coletiva no gabinete do comando do 2º BPM o Coronel Wellington Alves, Comandante do Batalhão, e o Capitão Guedes.

0 comentários:

Postar um comentário